domingo, 22 de maio de 2011

Em busca da vaidade perdida


Admiro as mulheres que cuidam da aparência, mas a vaidade nunca foi meu ponto forte. Não dou tanto valor assim à aparência porque o que importa para mim é o jeito da pessoa, se ela é uma pessoa bem humorada, inteligente e simpática. A vaidade para mim é algo que tenho que me esforçar para ter. Mas com moderação acho que a vaidade é sim muito importante para a mulher. Temos que nos sentir bonitas e nos cuidar, independentemente do tipo físico e das características pessoais ou de estar um pouco acima do peso.
Apesar de não ser uma pessoa vaidosa, sempre cuidei da alimentação, fiz exercícios físicos, andava com roupas bonitas, ia ao salão de beleza. Depois que o Henrique nasceu, a vaidade fugiu e se escondeu em um lugar muito distante. Eu estava tão cansada para me arrumar, não tinha nenhuma energia para fazer dieta e exercícios, ir ao salão de beleza era um artigo de luxo e minha última prioridade. Além disso as roupas não serviam e eu tinha esperança de voltar ao meu corpo de antes, então não queria comprar roupas maiores.
Acho que sou uma pessoa bacana e sou mãe, então pensava que as mães legais deveriam ter um desconto. Puxa, se tenho um filho pequeno para cuidar, não precisava me preocupar tanto assim com a aparência. Parece que tinha um carimbo na minha testa escrito “MÃE”, então a mulher deu adeus a esse novo papel.
O descuido com a aparência foi inevitável, só pensava no Henrique e nas minhas obrigações como mãe. No começo, o Henrique ainda era pequeno e eu não tinha tempo para me cuidar porque passava o dia inteiro cuidando dele. Depois ele cresceu e voltei a trabalhar. Então eu não me cuidava porque o meu tempo livre para ficar com ele era tão pouco que não queria desperdiçá-lo. Mil vezes ficar em casa com ele do que sair para comprar roupa, passar horas no salão de beleza ou gastar o tempo já escasso com exercício físico.
Sabe aquele elogio “nossa, nem parece que teve filho”, realmente não era o meu objetivo de vida. Não sou top model, nem artista global, não pretendo ser celebridade. Sou uma mulher normal, que tenho um marido que me ama como sou e amigos que gostam de mim independentemente da minha aparência.
Mas não é bem assim. Ser mãe é ótimo, mas a vida da mulher não se resume a esse papel. Somos também esposas, profissionais e temos vida social. Precisamos desempenhar também esses outros papéis.
A aparência tem a sua importância porque ela reflete a nossa auto-estima e nosso estado de espírito. Uma pessoa muito descuidada passa uma má impressão de que não se valoriza e de que não tem exigência com a própria vida. Mostra que cuidar de si é a última prioridade, o que não é legal.
A ficha demorou para cair, de que também sou mulher e preciso me cuidar. Sou mãe do Henrique, mas continuo sendo a Telma. Ainda não recuperei minha forma física, nem sei se vou recuperá-la totalmente, mas preciso cuidar da minha beleza e valorizá-la independentemente disso. Não é porque sou mãe que não preciso me arrumar e cuidar da minha aparência.
Tempo é uma questão de prioridade. Falta de tempo não pode ser uma justificativa para deixar de fazer as coisas. Com organização, equilíbrio e bom senso, arrumamos tempo para tudo. Aliás esse é o ponto forte de todas as mulheres: fazer várias coisas ao mesmo tempo e com agilidade. Desde que a vaidade não se torne uma escravidão ou uma busca incessante por um ideal inatingível, penso que devemos sim cultivá-la na nossa vida.
Então estou me esforçando para me lembrar da mulher e cuidar desse lado tão importante. Não sou nenhum exemplo de vaidade, nunca fui, mas fico me policiando para pelo menos estar bem apresentada e manter os cuidados básicos de uma mulher.
Essa fase do descuido com a aparência faz parte da maternidade. Todas as mulheres passam por isso, em maior ou menor grau. Umas ficam descuidadas só por um mês, outras por alguns meses e algumas ficam assim por mais de ano. A fase só não pode durar a vida toda. Cada mulher tem o seu tempo de querer voltar a se cuidar. Para mim demorou bastante e ainda estou recuperando o tempo perdido. Estou longe do ideal, mas estou me esforçando. Acho que devemos assumir o compromisso de cuidar da mulher que existe em nós e que ficou escondida em algum lugar. Até o filho quer ver a mãe feliz e bonita. Principalmente o marido quer muito ter a mulher de volta. Sabe de uma coisa, até eu mesma estava com saudade de mim!

7 comentários:

Angi disse...

Ah,que saudade de mim tb,amada!É assim mesmo, demoramos para conseguirmos nos organizar, organizar o tempo, e o dinheiro não é tarefa fácil,mas uma hora nos organizamos! Eu estou cuidando da minha alimentação, e percebi muita diferença!Exercício físico, eu deveria fazer mais, por ser educadora física e adorar, mas ainda não achei tempo...hahahaha
beijos flor
BOA NOITE!

Chama a mamãe disse...

Querida Telma,
Compartilho dos mesmos sentimentos que vc, tb passei exatamente por isso, mas tb tive a percepção de que era hora de cuidar de mim.
Então, vou a manicure no meu horário de almoço, num salão perto do meu serviço, fazia mtoooooooo tempo que nao pintava meu cabelo, esse sábado fui no salão e deixei a Eloise com a minha mãe, e não me senti culpada por isso, afinal tenho certeza que a Eloise ficou feliz em me ver mais bonita.
Agora exercicio fisico ainda não consegui! Mesmo pq os horários da academia são dificeis, abrem mto tarde e fecham mto cedo, pq para mim 22:00 ainda é dia....ehehhe
Hoje eu sinto o poder de dizer: culpa, eu não te aceito aqui. Sou a melhor mãe que posso ser!
Bjosssssssss, e boa sorte!

Conceição Reis disse...

Telma! vc é linda . Poucas pessoas tem o privilégio de ter um coração como o seu. Vc é doce e meiga,lógico que deve continuar sua vida de cuidados pessoais como sempre fazia. Henrique está ficando rapazinho e cada dia mais dará menos trabalho, sabe que pode contar com o paizão Junior. Te quero muito minha nora.

Fabrisia Garcia disse...

Oi Telma, vc eh mto linda e tem uma família linda tb! Se esforce ao máximo p sempre tirar um tempinho p vc, mamães modernas tem que ser equilibristas mesmo! Eu acabo me cobrando mto quanto aos cuidados comigo mesma, cansa, mas o retorno do maridao e dos amigos eh ótimo!

Bjo
Fabrisia

Elaine Redigolo disse...

amei... disse tudo.

ARTESANATO BY NANA REIS disse...

Cunhada, não se culpe por nada. Tudo vem no tempo certo. Sentir-se feliz é o que faz a verdadeira diferença e é isto que devemos buscar todos os dias, seja cuidando de nossos pequeninos ou de nós mesmas.

Andrea Ponte Rocha disse...

Telma, para dar uma ajudinha para as mamães que querem tirar um momentinho para si e resgatar um pouco mais a vaidade, vamos oferecer uma aula de auto-maquiagem para suas seguidoras?
Faremos um passo-a-passo que elas irão amar!
Crie as regras! Não sei como funciona, a blogueira aqui é vc rsrsrsr! Beijo