quarta-feira, 27 de abril de 2011

A birra na hora de comer


Sendo mãe de um filho que sempre me desafia na alimentação, preciso separar duas situações muito distintas: a falta de apetite e a birra na hora de comer.
Fazer o Henrique comer é uma arte e um exercício de paciência, criatividade e autocontrole. Tenho que seguir algumas regras para a coisa fluir. Deixo ele comer sozinho na cozinha com a porta fechada. Se ele ficar vendo o movimento da casa ou das pessoas, distrai e não quer comer mais. Sempre coloco alguns brinquedos na cadeirinha para ele ficar entretido e preciso variar sempre. Também tenho que esconder os lanches (bolo, biscoito, pão). Às vezes coloco a comida em um prato diferente ou mudo a colher para ele achar interessante. E o mais importante é deixar ele mexer na comida e tentar pegá-la com as mãos ou a colher.
Aprendi com o tempo a manter a calma quando o Henrique não está com apetite e não quer comer ou quer comer pouco ou só quer determinados alimentos que ele prefere. A birra já é algo muito diferente e ele já consegue fazer muito bem.
Quando o Henrique está tranquilo e não quer comer mais, ele começa a bater palmas para dizer que terminou, ou balança a cabeça para dizer que não quer mais e empurra o prato. Mas quando ele quer fazer birra, não tem limite.
Às vezes ele começa a jogar as coisas no chão, ou pior ainda, pega a comida com as mãos e deixa cair quase tudo em cima da roupa ou então pega a comida com a colher e começa a jogar tudo para cima. É um teste para os meus nervos.
Quando ele está assim, chamo a atenção e tiro ele da cadeirinha imediatamente. Não acho engraçado e não dou risada. Mas percebi que se eu ficar muito irritada, e quase sempre fico, ele gosta e acha engraçado. Então fica repetindo o comportamento só para provocar essa reação em mim.
Algumas vezes também ele faz birra quando quer comer algum lanche ao invés de comida. Ele dá escândalo, mas não posso ceder. Digo que é hora de almoçar e não de lanche. Se não quiser a comida, fica sem comer nada. E às vezes ele fica sem comer nada mesmo.
Teve um dia que ele fez uma birra enorme na hora do almoço e foi para a escola sem comer nada. Não estava doente, nem tinha nenhum lanche à vista. Ele não queria comer naquela hora porque queria continuar brincando. Só que lá em casa tem hora para almoçar, se não chegamos atrasados na escola e eu no trabalho. Fiquei muito nervosa.
Nessas horas em que a gente está com os nervos a flor da pele, melhor mesmo é chamar outra pessoa, como a empregada ou a babá. Normalmente os filhos fazem mais birra com a mãe. Quando estou com pouco tempo ou muito irritada, passo a vez para a empregada. Quase sempre ela consegue muito melhor que eu. Mas tem dia que não tem jeito, nem assim funciona.
Precisamos então compreender que uma coisa é respeitar o paladar da criança e a falta de apetite, outra muito diferente é ceder por uma birra. Educar é difícil e exige nosso esforço até na hora da alimentação.
Quando o Henrique era bebê, eu ficava muito preocupada quando ele não comia nada. Agora o rapaz já vai completar 2 anos e precisa entender que hora de comer é hora de comer. No café da manhã e no jantar admito algumas trocas, mas o almoço é refeição sagrada em que só aceito que ele coma comida. Explico que está na hora e se ele não quer sempre ofereço outra opção que ele aceita melhor. Se tiver tempo, aguardo um pouco para ver se a fome aparece. Se mesmo assim ele não quer, paciência. Como me disse uma querida amiga: até hoje nunca se soube de alguém que tenha morrido por pular uma refeição.

Um comentário:

Vivi Sangalo disse...

Obrigada por dividir a sua experiencia "comigo"! Hoje fiquei muito irritada com meu bebe na hora de comer e estava me sentindo uma pessima mae. Foi realmente reconfortante ver que outras maes tb enfrentam o mesmo dilema.