segunda-feira, 4 de julho de 2011

De onde vem o instinto materno?


Sou de uma geração só de mulheres, pois minha mãe teve três filhas. Não era “A Casa das Sete Mulheres”, mas das quatro. Se bem que minha mãe é uma mulher tão forte que vale pelas outras três... Era tanto hormônio feminino que meu pai quase não tinha voz de comando na casa.
O universo masculino sempre esteve longe de nós. Um mundo novo que nos foi apresentado com a chegada dos meus sobrinhos gêmeos há dezesseis anos atrás.
Minha mãe sempre sonhou com um filho homem porque achava que meu pai fazia questão. Então, Deus resolveu atender ao pedido na outra geração, pois já são três netos e nenhuma menina... Só para complementar, meu pai é tão apaixonado pelas filhas que sempre diz que o desejo por um filho homem era coisa da cabeça da minha mãe!
Não sei se era a convivência quase exclusivamente feminina, sempre achei as mulheres seres extremamente evoluídos. Já os homens precisavam se esforçar muito para chegar aos nossos pés!
Essa minha convicção, lógico, se modificou. Principalmente por causa do meu marido, homem maravilhoso e cheio de qualidades. Também por causa do meu filho Henrique. Uma vez fiz o meu mapa astral, bem antes de pensar em engravidar. O astrólogo me garantiu que eu seria mãe de um menino, justamente para eu modificar minha opinião de que as mulheres são seres tão superiores (engraçado que eu não tinha falado nada a esse respeito). Ele afirmou que eu seria tão encantada pelo meu filho que começaria a respeitar e admirar o universo masculino. Curioso!
O fato é que comecei mesmo a admirar as qualidades e características masculinas. Assim como conheço mulheres fortes e fantásticas, também conheço vários homens que respeito e admiro. Hoje compreendo que cada um tem suas qualidades. Mas que mulher e homem são diferentes, ninguém pode negar. Comecei a constatar desde que o Henrique entrou no berçário, com quase sete meses.
No berçário, eu observava as meninas de mesma idade do Henrique brincarem com os mesmos brinquedos. Que delicadeza! O jeito que elas pegam os brinquedos é totalmente diferente. Tinha uma menina que com pouco mais de 1 ano já saia com uma boneca na mão, a colocava dentro do bebê conforto e a ninava. Eu ficava pasma! Quem ensinou?! Será que é só de observar a mãe?
Outras duas meninas já fizeram amizade no berçário. Ambas já falavam bem com 1 ano e cinco meses. Quando uma chegava, abraçava a outra e falava: “Oi, amiga!” Não é incrível?! Aqueles toquinhos de gente já tem amizade?!
Desde, então, observo as meninas e me questiono sobre a origem do instinto materno. Parece que já nascemos com ele. Toda menina gosta de brincar de casinha e de ser mamãe. No último final de semana, observei duas meninas brincando de casinha e a briga era para resolver quem seria a mãe. As duas queriam!
O Henrique tem uma priminha só um ano mais velha, mas ela tem certeza que já pode cuidar dele. Toda vez que ela vai beber água, pega o copo do Henrique e dá para ele beber. Na sua cabecinha materna, ela pensa: se estou com sede, ele também deve estar. E ela diz para mim: “Eu que dou, tia!” Pensa que o Henrique acha ruim? Que nada! Ele adora ser paparicado pelas mulheres!
Na escolinha também tem outra menina de mesma idade do Henrique. Toda vez que vou buscá-lo, ela pega a mochila dele e traz para mim. Se o Henrique está de casaco, ela pega o capuz e põe na cabeça dele. Certamente ela observou que faço isso sempre para ele não pegar friagem. Às vezes, ela também abre a mochila dele, pega a chupeta e dá na boca dele! Fico impressionada, pois a menina só tem 2 anos!
O Henrique também tem algumas primas mais velhas pelas quais ele é apaixonado. Elas brigam para cuidar dele. E ele ama ser o “rei da cocada preta”! Fica todo dengoso e sorridente no colo delas. Outro dia, estávamos em uma festa de aniversário e uma das primas, de 7 ou 8 anos, estava com o Henrique para cima e para baixo. Até que ela me disse: “Tia, quando eu tiver um filho quero que seja assim, igualzinho ao Henrique!” Fiquei besta! Como é que com essa idade ela já pensa em ter filho?!
Então, minha conclusão é que já nascemos com o instinto materno. Ninguém ensina. Se fosse só por observação, os filhos homens também imitariam o comportamento das mães. Mulher nasceu para cuidar. Como a natureza é sábia!
Sendo mãe de um menino, posso confirmar que as mulheres paparicam demais os homens. Precisamos tomar cuidado! Sempre que posso, estimulo o Henrique a ser participativo e a “enxergar o outro”. Oriento a oferecer o que está comendo. Peço para ele guardar suas próprias coisas. Brinco de casinha e o incentivo a cozinhar e dar a comidinha para a mamãe. Penso que assim posso contribuir para ele se tornar um homem participativo e colaborador.
Minha sorte é que o grande exemplo para o Henrique será o próprio pai, que é um homem extremamente participativo em casa. Meu marido é até melhor dono de casa do que eu. Consegue enxergar tudo o que está errado ou fora do lugar. Faz até recomendações à nossa empregada. Vai ao supermercado e compra tudo direitinho, nem preciso fazer lista. Lava louça e passa pano na casa se precisar. Espero que esse realmente seja o modelo de homem a ser seguido. Porque se for depender do paparico das mulheres...

13 comentários:

Fabrisia Garcia disse...

Boa tarde Telma,
realmente acho que o instinto materno é inerente a nós mulheres, sempre soube que seria uma mãe leoa!
nossa, e como meninos são diferentes, eu já observo o meu pequeno e vejo suas atitudes de homenzinho, todo sério, compenetrado, observador.
bjos e boa semana!
Fabrisia

Natália a mãe disse...

Nós meninas já nascemos com aquele desejo de sermos maezinhas das nossas bonecas...Acho que já nascemos com isso...
E os meninos já nascem querendo os carros...rs
Beijos

Angi disse...

Adorei, amiga!
É verdade, concordo contigo que nós mulheres somos maternais desde pequenas! Fique impressionada com o que relataste das colegas do Henrique, e sempre reparo como as meninas gostam de cuidar dos meninos, e ajudar em tudo desde novinhas, é o instinto feminino em cuidar, e proteger sempre!ADORO!
Bjs amiga
amei essas fotenhos do Henrique, as priminhas amam muito esse menino!
BOA SEMANA!

Angi disse...

Ah, e temos muita sorte dos homens da nossa geração serem cada vez melhores...imagina na geração dos nossos filhos?
Hoje em dia família que não divide tarefas, infelizmente acaba, é o que percebo nas famílias que se separam, um está mais sobrecarregado que o outro, e uma hora não aguenta!
beijos

Chama a mamãe disse...

Oi querida,
É verdade, a Eloise com 10 meses já ninava a boneca, e até hoje ela adora brincar e cuidar dar bonecas, faz comidinha e tudo, e tem coisa que eu nem ensinei, ela simplesmente fez e eu fico admirada! Nascemos para sermos mães é incrível.
Bjos e o Henrique está muito lindo

Angi disse...

AMIGA!
TE ADORO E PONTO!
BOA NOITE!
BJS

Juliani de Paula disse...

Telma muito obrigada pelos recados e pelas orações!

A minha afilhada desde bebezinha adora bonecas e se deixar ela quer pegar o Edu e cuidar dele sozinha não adianta é instinto

Laura Degani disse...

E tem algum jeito de não paparicar essa pessoinha deliciosa???!!!

Mon Maternité disse...

Ahh Telma, mas com um príncipe desse ... realmente quem não mimaria!

Mas também sou de família de mulheres ... somos em 9 netos, somente três meninos! Mas acho que menina é mais cuidadosa, por isso acreditamos que sejam mais zelosas. A gente aprende a cuidar, amar aquilo que temos. O que não entendo é uma fixação de crianças meninas por brinquedos de casa! Minha sobrinha ganhou no aniversário de três anos cozinha, tábua com ferro de passar e aspirador de pó ... trocou a festa para brincar de "mamãe"! Sophia sempre adorou uma vassoura ... que lado Isaura/Amelia é esse!!??!

Meninos são práticos, meninas dengosas! E olha que minha filha não é tãããão amante assim das brincadeiras femininas ... seu último presente: o tênis do Matte, personagem do filme "Carros" ... posso?!?!?!

Beijos ... Má
www.monmaternite.blogspot.com

Dayane Cavalcante disse...

Olá!!
Concordo com você!Meninas realmente são diferentes, tenho uma sobrinha de 1 ano e 5 meses e ele ama abraçar o Levi, tenta segurar ele no colo, que dá água para ele no copo, super fofa, mas o Levi não é como o seu Henrique não!!Rs!Ele não gosta desse grude e acaba se estressando um pouco com tanto paparico!
Talvez todas as mulheres possuam extinto,mas existem aquelas que já provaram e muito que não servem para ser mãe e muitas não sentem esse desejo, então nesse caso o tal extinto não seja uma coisa genética, que se aplique a todas as mulheres!Bjos e adorei o blog!

Angi disse...

BOA NOITE,
bjs!

Futura Mamãe Tati disse...

Olá Telma! Adoreiiii o texto! Realmente, já nascemos com o instinto materno, mas temos que concordar que não é regra, já que vemos muitas mulheres que não tem dom nenhum pra maternidade! Mas enfim, ainda bem que Deus nos concedeu a graça de termos essa vontade e esse instinto! Tenha um ótimo dia! Beijos

Angi disse...

AMIGA!
Nossa amizade não tem fronteira, não tem como medir, é amizade verdadeira!
Obrigada por ser tão presente, querida, e amiga!
Conte conosco!
Beijos nossos