segunda-feira, 19 de março de 2012

Choro na hora de ir para a escola

Desde que voltei a trabalhar, o Henrique começou a ficar parte do dia em casa e parte no berçário (até 1 ano e meio) e depois na escolinha. Não abro mão da escola porque acredito ser o melhor para o desenvolvimento do meu filho. Algumas pessoas dizem que escolinha nessa idade do Henrique só serve para brincar. Não é bem assim. Desde o berçário, pude constatar que as atividades realizadas auxiliam muito o desenvolvimento motor e afetivo, a sociabilidade e a comunicação verbal. Se a mãe pode ficar em casa cuidando do filho pode suprir os estímulos. Mas, se a opção for uma empregada ou babá, acredito que o melhor é substituir pelo menos parte do dia pela escola. Além da dificuldade de encontrar alguém de extrema confiança, em casa torna-se inevitável o uso exagerado da televisão.
Adoro a escola e não sofro nada de deixar o meu filho em um local seguro, com pessoas preparadas, cheio de amiguinhos, brinquedos, parquinhos e muitas atividades legais que não temos como proporcionar em casa. Mesmo que ele chore e peça para não ir, sei que a escola é a melhor opção. O período de adaptação pode ser difícil, mas passada essa fase, a escola só traz benefícios.
Quanto à adaptação, já escrevi AQUI a experiência do ano passado. O Henrique chorou vários dias, mas depois pegava a mochila e pedia para ir mesmo antes do horário da aula. Este ano, também houve um período difícil de adaptação. Será que todo início de ano é assim?
Depende, da criança e das mudanças. Umas crianças têm menos resistência por serem mais independentes, seguras, muito sociáveis e comunicativas. Algumas têm mais dificuldade em se adaptar por serem mais tímidas ou sensíveis. Outras estão no meio termo, sentem mais ou menos a adaptação, dependendo da quantidade de mudanças. Se a escola é nova, fica mais difícil. Mesmo quando a escola é a mesma há uma pequena adaptação nos primeiros dias porque as tias são diferentes. Se os amiguinhos são os mesmos, facilita um pouco.
No caso do Henrique, acredito que ele teve resistência este ano porque mudei o turno da escola, do vespertino para o matutino. Além dos amiguinhos não serem os mesmos, ele precisou se adaptar a acordar mais cedo e driblar a preguiça de sair de casa logo pela manhã.
Na minha opinião, não existe um turno melhor para a escola. O período matutino tem algumas vantagens, e o vespertino outras. Para fazer a escolha, o fundamental é pensar qual período é melhor (ou o único viável) de acordo com o horário de trabalho e a disponibilidade dos pais. A criança vai se adaptar.
O Henrique não acorda tão tarde, mas tem um ritmo mais lento pela manhã. Precisou se acostumar. No começo, ele acordava e reclamava muito: “Não quero a escola! Quero brincar na minha casa, no meu quarto!” Mesmo assim, ele ia para a escola e a professora dizia que ficava bem e feliz.
Na segunda semana, ele adoeceu. No dia que ele estava melhor, não quis ir para a escola: “Mas, eu estou doente... Estou tossindo!” E fez um cof, cof, cof forçado. Nesse dia, cedemos ao charme porque já era sexta-feira.
Depois de alguns dias ele voltou, mas continuou reclamando na hora de ir. Até que um dia ele só perguntou: “Já é dia?! Eu já vou pra minha escolinha?” “Sim, filho!” “Então tá!” Outro dia, ele acordou e disse: “Eu quero a minha escolinha!” Hoje, o papai foi buscar e o Henrique chorou (para voltar para casa!)
Confesso que o processo foi doloroso para mim. Cheguei a me questionar se ele realmente se adaptaria a  estudar pela manhã, se havia errado na minha escolha, se eu deveria mudar o meu turno de trabalho, se ele estava sentindo muita falta dos amiguinhos... Mas passou e estamos todos muito felizes e adaptados.
Acho importante não demonstrar pena e não ceder às reclamações do filho. Ele vai e pronto. Não tem que ficar argumentando demais. Se não a criança aprende que sempre pode manipular os pais quando quiser. Quase sempre o choro serve mesmo para chamar a nossa atenção.
Explique que o papai e a mamãe precisam ir trabalhar e que agora ele vai ficar na escola. Elogie, incentive, mostre as qualidades da escola, demonstre sua alegria ao buscá-lo, pergunte sobre o dia e as atividades que ele fez. Importante também sempre perguntar para a professora como ele fica lá na escola. Se ele resiste ou chora na hora de ir, mas depois fica bem, participando das atividades e interagindo com os amiguinhos e as tias, está ótimo. Certeza que logo ele estará adaptado e amando a sua escolinha! 

15 comentários:

Ivna Pinna disse...

Telma esses post sobre a escola são ótimos! Obrigada pelo comentário lá no blog viu! Me ajudou bastante e me lembrou de que essa é só mais uma fase, e que daqui há pouco vai passar!
E esses texto que vc escreveu hoje, é quase um complemento do meu. Pq a escola é bom sim! Pq tem atividade direcionada, pq socializa.. enfim, muita coisa legal!

E aqui a gente não costuma ceder muito as chantagens não, tem que ir mesmo. Isso ajudou muito na adaptação dele.

beijos

Dani disse...

Telma, concordo contigo quando diz que a escola desenvolve as crianças, tanto na parte motora, quanto na fala, na sociabilidade, etc... mas realmente não vejo necessidade de um bebê ir para o berçário, com 6, 7 meses. Não acho que isso acrescente nada na vida deles, a não ser alguns vírus. Em contrapartida, como no meu caso, em que eu tinha que voltar a trabalhar a todo custo e tenho que trabalhar cerca de 9, 10 horas por dia, eu deixava pela manhã na casa da minha mãe e à tarde no berçário, mesmo ela com 6, 7 meses, noviiiinha de dar dó. Mas é normal, eu prefiro mil e oitocentas vezes deixá-la no berçário no período integral (como estamos fazendo neste ano) a entregá-la a uma babá... nem por milhões de dólares. Não. Babá de jeito nenhum e ponto final. HOje em dia vejo que a Laura, com 15 meses, é mto sociável, brincalhona, vai no colo de todo mundo, ri, come super bem, saudável, não sabe o que nenhum desses galináceos disponíveis no mercado, não sabe pra que serve tv, nunca assiste... enfim, tenho mil pontos a favor do berçário, tenho mesmo. Só dá dó de EU não poder ficar mais com ela... independente de deixar no berçário, com a minha mãe ou com babá (nunca). Eu queria ter mais tempo pra ficar com ela apenas, essa é a minha questão... queria tanto meio período, mesmo que o salário diminua... mas não tenho essa possibilidade.

Aproveite bastante! É mto bom poder manter o trabalho e poder ficar em casa com o pequeno tbm...

Beijos!!!

Juliani disse...

Telma, estava um pouco receosa com a escola com medo dele adoecer.
Ele ficou doente mas nada que não acontecesse antes de ir para escola. Me surpreendi positivamente de como ele se desenvolveu nesse mês na escola. Aprendeu a andar, a escutar histórias, seu apetite e o sono melhoraram. Se desenvolveu muito!
Queria te perguntar uma coisa, ele ainda continua a chorar na hora da separação, já espiei e logo e para de chorar, as professoras dizem que ele brinca bastante, canta, dança...
É normal ele chorar ainda? Sinto que ele gosta da escola, como você disse lá tem profissionais preparados, ambiente seguro, brinquedos, parquinho, coisa que não conseguia proporcionar mais pra ele. Assim como você não abro mão da escola.
Beijos

Telma disse...

Ju, é normal sim ainda chorar na hora da separação. Acho que é um charme, já que logo depois ele pára e começa a brincar. Fica tranqüila, se ele fica bem depois é o que importa. Como ele se adaptou rápido e está se desenvolvendo bem! Acho que este mês ele nao deve chorar mais. Depois me conta! Beijao

Telma disse...

Oi Dani! Concordo com você! Se a mãe ou avó pode cuidar, melhor nao colocar no berçário. Só acho melhor berçário do que deixar com babá. Para mim o berçário foi ótimo porque funcionava no meu proprio local de trabalho. Então eu podia descer para amamentar e vê-lo um pouquinho. Adoecer, adoece muito mesmo. Mas com 2 anos melhora demais. Às vezes a mãe protela o ingresso na escola para evitar as doenças, mas quando o filho entra pega tudo do mesmo jeito... Beijos

Telma disse...

Ivna, no seu caso, como você podia ficar com ele, eu tb nao colocaria na escola tão cedo. A escola tem muitas vantagens mesmo. Vc colocou na hora certa. Principalmente para aprender a dividir , socializar, esperar a própria vez e treinar a concentração. E os trabalhos de arte são emocionantes! (em casa nao dá pra fazer né). Tem tb as apresentações ! E como eles conseguem fazer fila com as crianças tão pequenas?! Acho incrível ! Sobre as doenças, nao tem jeito. Como te falei, no segundo ano de escola melhora demais. Pelo menos , ele já está grande, então nao dá tanto pânico como quando ainda é bebê. Beijao

Celi disse...

Telma,
Acho que o mais importante é a confiança dos pais na escola. Quando estamos seguras, passamos isso para as crianças. Acho que está certíssima de adequar sua vida, sua rotina com o horário da escola.
A gente vive imaginando, pensando que será difícil para eles. No entanto, eles se adaptam aos nossos horários, ao nosso vai e vem. Acredite!
Adaptar não é fácil, um processo muitas vezes doloroso para o filho, para os pais. Mas não deixe de confiar, acreditar que dará tudo certo!
Um grande beijo.

Fabrisia Garcia disse...

Oi Telma,
Tinha comentado com vc sobre a escola e nem tinha visto o seu post... Nossa, adorei vc ter compartilhado conosco a sua experiência. Eu estou bem apreensiva, mas confiante que escolherei uma boa escola para o meu pequeno...
Bjinhos

Karine Paim Maia disse...

Oi Telma, muito bom o seu post. Minha filha começou a ir para a escola, e não tive a dificuldade dela chorar, mas hoje ela quis fazer um charminho e chorou antes de sair de casa... Acho que no começo de cada ano letivo vai ser assim mesmo. Concordo com vc que a escola é um boa opção, tb sinto diferença na minha pequena em pouco tempo de escolinha. bjinhos

Glorinha disse...

Oi Telminha, adoro os seus posts. Acho todos uma graça e, de quebra, me fazem lembrar da época em que Yasmine e Matteo eram pequenos. E, com a experiência de quem já passou por esta fase duas vezes, digo apenas o seguinte: tudo aquilo que fazemos com segurança e firmeza dá certo. É impressionante como os filhos são capazes de sentir nossos medos e angústia e de tentar usá-los em benefício próprio. Choros e birras são normais e não traumatizam ninguém, né? No mais, é só ficar atenta às situações em que os filhos mostram desespero e ficam muito tensos. Quando o Matteo tinha 3 anos, descobri que a professora dele o maltratava! É claro, mudei ele de escola! Beijos pra vocês.

Telma disse...

Glorinha, nao sabia que você estava acompanhando ! Muito obrigada! Certíssima sua opinião ! Passar segurança para a criança é o fundamental. Como mãe de primeira viagem preocupada ao extremo em "fazer o melhor" , muitas vezes fico insegura mesmo com minhas escolhas e atitudes. Esse é um erro bem grave. A forma que encontrei de trabalhar meus sentimentos é justamente essa: escrever! Que bom que você gosta dos posts! Beijao

Chama a mamãe disse...

Oi querida,
A Elô sempre demora para se adaptar, mesmo sendo a mesma escola e a mesma turma ela chorou bastante nas duas primeiras semanas, agora ela está ficando numa boa, só que este ano ela só está ficando meio período difeente do ano passado que ela ficava inegral. Eu também escolhi o período matutino, embora eles tenham um pouco de dificuldade para acordar, aproveitamos mais o dia.
Bjossss

*Tati* disse...

Oi Telma! Tb tô achando que somos vizinhas, mas acho que nossos filhos estudam em escolas diferentes... vamos descobrindo
Bom, quanto ao seu post, por experiência própria, te digo que isso é fase. Meu filho mais velho era o mais complicado de todos na adaptação. Foi assim até o 3º ano. Eu chegava várias vezes atrasada no trabalho, pois o escândalo era grande! No 4º ano fiquei mais preocupada, pois já era a 3ª escolinha pela qual ele passaria. Já fui avisando para a professora que teríamos problemas... mas para a nossa surpresa ele foi todo independente e achando o máximo as novidades! Confesso que fiquei desconfiada que seria só no primeiro dia, mas depois de então não tivemos mais problemas, pelo contrário, ele adora ir para a aula!
O meu mais novo ainda não estuda, mas pretendo colocá-lo no meio do ano e já estou me preparando psicologicamente. rsrsrs
É difícil, mas temos de ser firmes e demonstrar segurança. Bjs!

Carol Liôa disse...

adorei suas dicas! ñ sei quando minha Clarice ira para a escolinha, nem procuro pensar muito nisso, mas concordo com vc, se entre ficar com babá e escolinha, axo q escolinha é muito melhor! bjsssssss

Cléo Moretti disse...

Oi Telma, todas as adaptações que fizemos foram super tranquilas, graças a Deus, eu quase nem acredito. Nunca deu choro das crianças, porque eu sai várias vezes com os olhos encharcados, ehhhhhh
Acho que foi devido a eu ter passado as duas gestações dentro da sala de aula, sei lá de repente eles gostavam daquele movimento todo da criançada, ehhhhh

Querida, vim te avisar que vc pode se escrever no sorteio lindo da Dedeka, só deixa no comentário que você não tem tt, e se vc ganhar eu explico pra empresa que vc avisou.

bjocas, Cléo
http://donamaricotafeliz.blogspot.com.br/2012/03/sorteio-de-pascoa-dedeka.html