quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Medo de quê?


O Henrique aprendeu a falar “medo” e também descobriu o que representa esse sentimento. Bom ou ruim? Normal para a idade? Ainda não sei. Fico um pouco apreensiva, porque ele tem falado muito a palavra “medo”. Ele fala com o olhar assustado e pede nossa proteção. Algumas vezes, o coraçãozinho dele até dispara!
O Henrique tem muito medo de dinossauros. No Discovery Kids passa um seriado chamado Dino Dan. É só passar o comercial que ele assusta. Às vezes até chora! No aniversário, ele ganhou um dinossauro que acende uma luz vermelha nos olhos, anda e faz barulho. Quando ele abriu o presente não deu muita atenção, mas só foi colocar a pilha... Ele ficou assustadíssimo! Coloquei o brinquedo em cima da mesa e ele foi para o quarto tampando os olhos com as mãos só para não ver o dinossauro... Realmente o brinquedo é um pouco assustador para a idade dele, então guardei para dar no ano que vem.
Não sei o motivo, mas ele também não gosta de uma propaganda do Vanish em que aparece uma moça caminhando e, de repente, ela esbarra em um menino que está tomando um sorvete de chocolate, sujando a roupa dela... É só começar a música do comercial que ele fica assustado e começa a chorar! Não entendi nada... Será que é a frustração de cair o sorvete?
Outra situação que lhe causa medo é ouvir os recados na secretária eletrônica. Se ele não reconhece a voz, e principalmente se for voz masculina, ele fala “medo” e nos procura assustado.
Nas nossas brincadeiras, sempre faço umas vozes engraçadas para imitar os bichinhos. Outro dia, fiz uma voz bem grave para imitar o urso e ele não gostou. “Medo, mamãe!” Tive até que tirar o urso da brincadeira.
Percebi que ele está exagerando um pouco. Se ouve alguma voz diferente, isso causa “medo”. Se abre a porta de repente e aparece alguém que ele não estava esperando, sente “medo”. Se foi contrariado, fala “medo” também. Se fico muito brava com ele, fica com “medo” (da mamãe)...
Algumas situações são de medo real. Em outras, acho que ele fala “medo” só porque descobriu a palavra nova.
Quando percebo que realmente ele ficou assustado, abraço e falo: “Não precisa ter medo, Henrique, foi só um susto”.
Uma amiga me contou que a palavra “medo” é proibida de ser falada na casa dela. Para se referir ao comportamento ela soletra: M - E - D - O. Assim, a filha não entende. Achei interessante, pois repetir a palavra pode enfatizar ainda mais o comportamento.
O medo é uma reação normal quando há alguma ameaça à nossa segurança. Natural e saudável buscar proteção. Em uma situação nova e inesperada, que representa um perigo, surge o medo. Mas as crianças pequenas ainda não diferenciam a fantasia da realidade. O medo pode surgir de uma situação aparentemente sem motivo.
Acho que não devemos dar pouca importância e ignorar o medo das crianças, e sim tentar entender o que está por trás daquele “medo”. Será que o melhor é evitar as situações que causam medo? Ou o melhor é acolher a criança, mas ajudá-la a enfrentar o medo?

E vocês, já passaram por isso? Como lidam com os “medos” das crianças?

10 comentários:

Chama a mamãe disse...

OI querida, td bem??
Primeiramente obrigada pelo selinho, amei!!! já vou postar.
Em relação ao medo, a Elô ainda não verbaliza, porém ela anda muito assustada, as vezes estou na cozinha e chamo o Junior e acabo falando um pouco mais alto, já é motivo para ela assistar, quando ela ouve que alguém bateu o portão, percebo que ela fica ansiosa, ela ri e se esconde. Mas ultimamente o medo tem aumentado, em várias situações principalmente de barulho ela corre para meus braços e chora assuatada, com a campainha da casa então nem se fale.
Eu procuro acolher e acalmar, porque nem mesmo ela sabe ao certo o que esta sentindo, como vou explicar?? Também não sei, se achar uma maneira me fale, ok?
Bjão

Angi disse...

AMIGA!
vou almoçar e jah volto...
adorei o assunto, minha mãe conta que eu falava medo para o nada...dá medo de pensar!rs
bjsss

Fabrisia Garcia disse...

Oi amiga,
Por enquanto eu fico impressionada é com a falta do "medo" do pequeno... O Davi está na fase de enfiar o dedinho nas tomadas, correr para entrar na cozinha "proibida", se enfiar debaixo do berço e não conseguir sair... Todas as fases são verdadeiras descobertas para eles e para nós mães..
Bjo
Fabrisia

Natália a mãe disse...

A Giulia tem medo de dormir sozinha, medo do escuro , fora isso é uma menina valente e destemida...
Aos poucos eu vou lidando com isso e ela vai se acostumando...Precisa de muita paciência né?
Beijos

Juliani de Paula disse...

Oi Telma brigada pelo selinho!
Tadinho de Henrique com medo! Meu irmão quando era pequeno tinha muitoo medo, vivia dormindo na cama dos meus pais...

Cassiê, a mamãe do Eduardo disse...

Ai menina... Eu acho que não deve relevar os medos dele não... São importantes! Tem que observar o que está por detrás do comportamento! Eu acho que tem que acolher e tentar fazer entender que não é preciso medo! Acho que seria isto que faria de fosse com o Eduardo! Bjo!!

Angi disse...

Ai amiga!
Assunto complexo, confesso que nunca pensei sobre isso, mas acho que devemos ajudá-los a superar,mas com essa idade é difícil,né?
Até nós temos M-E-D-O, e não enfrentamos, como exigir isso de um filho?
Acho que devemos acolher, dar colo, e falar que não é nada, que foi um susto, enfim!
É minha opinião teórica, pois a prática ainda vou vivenciar, ele está na fase do não ter medo...faz tudo que não pode, que nem a Fabrisia falou!
SUPER BOA NOITE, Antonio não tem jeito de dormir...SONOOO!
Beijoss

Natália a mãe disse...

Telma, eu não tenho a galinha pintadinha em dvd, mas baixei alguns videos da net e a Maria não gostou...quem sabe quando ficar maiorzinha, né?
beijos

Laura Degani disse...

Telma, acho também que tem que continuar observando... Talvez seja realmente uma fase de palavra nova... Vc já conversou sobre isso na escolinha? Beijos!

Funny Paper disse...

Telma, eu acho que mesmo que o Henrique esteja usando essa palavra em estados de medos reais ou não, parece que alguma coisa está incomodando o pequeno, real ou irreal, não importa... em ludoterapia, as crianças demonstram seus medos através de brincadeiras... pode ser uma tentativa para vc saber o que está provocando esse medo no Henrique, brinque com ele, é a melhor forma de expressão da criança, vc sabe... eu não concordo em não usar a palavra medo, ele existe e tem que ser encarado, mesmo que seja fantasia... vc não acha?

Bjs

Sil