segunda-feira, 2 de abril de 2012

Dia Mundial da Conscientização do Autismo


Em 2008, a Organização das Nações Unidas - ONU decretou o dia 02 de abril como o Dia Mundial da Conscientização do Autismo. A ideia é informar as pessoas sobre esse complexo transtorno do desenvolvimento, visando auxiliar no diagnóstico precoce e também chamar a atenção da sociedade e das autoridades públicas. Os autistas não vivem no mundo deles. Eles vivem no nosso mundo e precisam ser incluídos nele com respeito e amor.
O autismo é um distúrbio de linguagem, comportamento e interação social, ainda de causa desconhecida e mais comum do que se imagina. Atinge 1 a cada 110 crianças, segundo o Center of Deseases Control and Prevention dos Estados Unidos. Há mais casos de autismo na infância do que a soma de AIDS, câncer e diabetes juntos. No Brasil,  estima-se um número de 2 milhões de autistas, mais da metade ainda sem diagnóstico.
Normalmente, se fecha o diagnóstico até os 3 anos de idade por um estudo multidisciplinar (neuropediatra e psicólogo). Quanto mais precoce o diagnóstico, melhor tanto para os pais como para o filho. A criança que inicia logo o tratamento especializado tem mais chances de desenvolvimento. Não existe remédio. O tratamento é multidisciplinar: psicólogo especializado em comportamento, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, pedagogo, educador físico e outros. A criança que faz o tratamento especializado tem uma melhora significativa na comunicação e na interação com as outras pessoas. O autista não interage porque ele não sabe. Por isso, profissionais capacitados devem estimulá-lo. Todas as formas de brincar estimulam o desenvolvimento dos autistas, bem como a música, as artes e várias práticas esportivas como a ginástica olímpica.
Um acompanhamento especializado é dispendioso porque depende de profissionais qualificados de diversas áreas. Daí a importância de que o tratamento seja incluído na rede pública como direito de todos.
Em junho de 2011, o Senado aprovou um projeto de lei que garantirá direitos e atendimento aos autistas do Brasil - que atualmente não contam com tratamento pela rede pública de saúde.  Para ir à sanção da presidente Dilma e virar lei, o projeto precisa ainda ser aprovado pela Câmara Federal, mas está parado sem entrar na pauta dos deputados há mais de oito meses. O andamento do projeto pode ser acompanhado online: http://LeiFederal.RevistaAutismo.com.br.  
O autismo não é considerado uma deficiência física nem mental, portanto não se encaixa na maioria dos direitos já conquistados pelas pessoas com deficiências no país.
Vamos aderir ao movimento para chamar a atenção de todos para o autismo? Compartilhe essa importante campanha. Lute pelo azul! Esta é a cor escolhida para simbolizar o autismo.



Segue uma entrevista com mais informações sobre o autismo com o Dr. Rodrigo Valença, médico oncologista que recebeu o diagnóstico do filho quando ainda tinha 1 ano e meio.


3 comentários:

Francisca disse...

Parabéns pela iniciativa, temos que divulgar para que todos se engajem nessa luta.
Eu também fiz a minha parte e te convido a dar uma passadinha lá.
http://www.aventurasdasophia.blogspot.com.br/2012/04/dia.html

Um abraço,
Francisca

Angi disse...

Parabéns pelo post,Telma!
Já fiz a minha parte compartilhando!
Sexta estou aí, vou ficar uns 15 dias!QUERO VER VOCÊS!
Beijos amiga

V@léria S@ndry mamãe de Gustavo e Gabriela disse...

Oi amiga, passei aqui para conhecer o seu cantinho, amei tudo o que vi. Sou do grupo Blogueiras Unidas, número 1969. Já estou te seguindo. Ficarei muito feliz se puder me seguir também.

Blog do Gustavo e da Gabriela (meus bebês)
http://www.gustavoegaby.blogspot.com
Bjinhus e muito sucesso...

Valéria mamãe do Gustavo e da Gabriela