sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O sonho de ser mãe, a Hellp Síndrome e uma despedida


Hoje escrevo um breve texto, de tristeza, homenagem e saudade. Para mim não existe algo mais triste do que a mãe perder a vida logo depois de dar à luz. Vida e morte num momento tão sublime como este parecem inconciliáveis. Um sonho concretizado, mas que deixou de ser desfrutado por quem o desejou.
Uma querida cuidadora do berçário do meu trabalho, a tia Aninha, nos deixou hoje, depois do nascimento prematuro do filho, Daniel. A morte foi decorrente da Hellp Síndrome, a complicação mais grave da pré-eclâmpsia, também conhecida como doença hipertensiva específica da gravidez. A síndrome apresenta risco de morte à mãe e ao bebê. A denominação da Hellp Síndrome descreve seus três principais elementos: “H” para hemólise (quebra das hemácias), “EL” para elevação de enzimas hepáticas e “LP” para baixa contagem de plaquetas. Estas complicações podem determinar gravíssimas consequências. Os sintomas da doença não são percebidos facilmente – o que exige o dobro de atenção ao corpo. Eles se iniciam com aumento da pressão arterial, inchaço e perda de proteína na urina. Fora o risco de morte, há maior chance de a mulher desenvolver no futuro doenças cardíacas, hipertensão arterial e acidente vascular cerebral (AVC).
Tia Aninha foi para a UTI logo depois do parto porque vários órgãos pararam de funcionar em decorrência da síndrome. O pequeno Daniel nasceu prematuro, com 32 semanas. Passa bem, devendo receber alta em breve. Mas a tia Aninha não resistiu depois de uns dias na UTI. 
Lembro com tanta emoção o dia do nascimento do Henrique, quando escutei seu choro, olhei para ele, senti seu cheiro, o peguei no colo pela primeira vez para amamentar... Fico profundamente triste em saber que a tia Aninha não teve essa oportunidade.
Penso no sonho que foi gerar o próprio filho, depois de ter cuidado de tantos bebês com tanto amor e dedicação. Infelizmente, ela não teve a oportunidade de se dedicar ao seu próprio filho, acompanhar seu crescimento e desfrutar da maternidade.
Mas tenho certeza que a gestação já foi um presente divino. O sonho dela era ser mãe. Quem a acompanhou durante a gravidez, conta que a alegria dela era contagiante. O Daniel foi planejado e muito amado.
Além do Daniel, ela deixará órfãos todos os bebês a quem se dedicou, como o meu Henrique.
Não nos cabe questionar os desígnios de Deus. Só peço que Ele receba a tia Aninha com muito amor e fortaleça o pequeno Daniel e a família que ela deixou. Que eles encontrem a paz e consigam cuidar do Daniel, suprindo a ausência da mãe com muito amor. Peço a oração de todos vocês.
O que levamos desta vida: o amor, a amizade, os sonhos realizados... e ela realizou o seu sonho de ser MÃE!
Tia Aninha, nosso muito obrigado e nossa eterna saudade,
Telma e Henrique

16 comentários:

Celi disse...

Telma isso realmente é para comover.... Que tristeza! Sem palavras. Muito emotiva após ler seu texto. Ainda mais na fase que me encontro.
Beijos e fique bem.

Futura mãmã disse...

Uma noticia bem triste mesmo :(
Nem tenho palavras!
Que cuidem bem desse menino.... Beijinho

Angi disse...

Nossa, que Deus receba essa mãe, e abençoe essa família!
Eu fico com o coração apertado, e triste com uma notícia dessas, vou orar por eles!
Bom final de semana, e fiquem bem!
beijos

Flávia disse...

Que noticia mais triste!!! Nenhum filho deveria ficar sem a mãe antes de se tornar independente... Seja essa independencia com a idade que for. É triste demais um bebe sem a mãe... nem gosto de pensar. Que DEus abençoe e conforte a todos.. E que receba a tia Aninha de braços abertos.

Chama a mamãe disse...

Nossa Telma, que tristeza! Vamos orar para que Deus conforte a todos e cuide bem do Daniel.

Carol Damasceno disse...

Telma nem tenho o que dizer. Muito triste ler uma coisa dessas... Vamos orar pra que dê tudo certo... Que Deus proteja a todos.

Roberta disse...

Difícil até de comentar. Não conhecia essa sindrome. Espero que Deus console essa família e conforte o coração deles. É difícil perder alguém que amamos, ainda mais nessas circunstâncias!
Deixo aqui também o meu abraço a você.

com carinho,

Roberta

*Tati* disse...

Telma, a Rebeca me recomendou ler seu texto... sou mãe do Gustavo que "estudou" com o Henrique por alguns meses do Berçário...
Estou muito comovida com essa perda! A Tia Aninha era uma pessoa muito alegre e sempre foi muito atenciosa e cuidadosa com meus filhos...
Meu muito obrigada a ela! Que Deus abençoe a família e que o Daniel cresça com muita saúde e muito amor!!!
Tati

Li disse...

Que notícia triste!
É realmente muito triste pensar que a Tia Aninha não pôde desfrutar da delícia da maternidade fora da barriga... Mais triste ainda é pensar no bebê, que por mais cercado de amor e carinho que esteja, sempre sentirá um vazio: imagine não ter uma mãe para dividir seus medos, suas alegrias, suas conquistas, suas tristezas... Não consigo me imaginar (quando criança sem minha mãe, sem seu colo, suas canções, seu olhar, seu sorriso...).
Que Deus realmente dê muita força e sabedoria para essa família...

Meus sentimentos...

Lívia.

Juliani disse...

Que notícia triste!
Vou orar muito para que Deus conforte o pequeno Daniel e sua família...
Beijos

Telma disse...

Meninas, muito obrigada! Estamos todos muito tristes por lá. Ela trabalhou 11 anos no berçário cuidando dos bebes das funcionárias. Era uma menina doce e alegre que deixará saudades. Tati, estamos sentindo muito né! Que Deus console a família e proteja muito o Daniel. Ah, ontem li uma homenagem linda que escreveram no berçário. Ela adorava chocolate, cor de rosa e estrelas. Sempre quis ter o Daniel, era o seu sonho e estava radiante de felicidade. Deus proteja e fortaleça essa família. Beijos a todas. Obrigada pelo apoio.

Cristiane disse...

Nossa eu imaginava que atualmente ninguem morresse mais no parto. Sinto muito e sei o que sente pois conheci uma maezinha que se foi quando seu filho nasceu mas por ela não poder se tratar durante a gravidez porque precisava de quioterapia (nem preciso explicar né?) Sentimentos... Cris

Laiz disse...

Que triste Telma. Muito. Não sei muito o que dizer, notícias como essa me deixam triste e sem palavras. Deus ilumine essa mãe que não está mais aqui, a família e esse pequeno que já chega nesse mundo tendo que aprender a viver sem a mãe.
Bjooo grande

Cristiane disse...

Tem selinho pra você!! Cris

Laurinha disse...

Nossa, Telma, puxa vida... Muita paz no coração desta família que ficou é o que vou pedir nas minhas orações. Um beijo

Daniela Fonseca disse...

Fazendo uma pesquisa do Google achei seu blog e este comentários sobre a HELLP Sindrome... tive HELLP Sindrome neste mesmo ano, 23/09/2012 as 33 semanas de gestação, tive um parto de emergencia devido ao risco de morte eminente. Graças ao bom Deus estou aqui hoje e meu bebe esta com quase 3 anos. HELLP Sindrome é a maior causa de morte materna no mundo, infelizmente e sem tratamento, a unica cura é o parto emergencial para separar mãe e bebe. Infelizmente é uma Sindrome conhecida a pouco mais de 20 anos e alguns médicos não estão preparados para o diagnóstico precoce, por falta de experiência talvez. Meu diagnostico foi feito pelo meu médico que estava em outro estado no momento que fui para o hospital... se não fosse ele la de longe...alvez eu também teria chegado a óbito e meu bebe também, pois ele ja estava sofrendo dentro de mim. é muito bom divulgar, por este motivo, poucas pessoas conhecem a sindrome, deixando nos muito mais vulneraveis. Bjus