segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Papai Noel: cultivar ou não o sonho das crianças?



Quando criança, eu não era fascinada pelo Papai Noel, mas, por algum tempo, lógico que eu acreditava que ele existisse. Escrevia as cartinhas e ficava esperando o meu presente no Natal. Ninguém me contou que o Papai Noel não existia. Simplesmente, um dia encontrei a minha cartinha no armário da minha mãe. Foi quando “caiu a ficha”. Não precisei perguntar para ninguém. Conclui que se a minha cartinha estava no armário da minha mãe era porque o Papai Noel não existia.
Muitos pais não alimentam o sonho e já contam, desde cedo, que Papai Noel não existe. Acham que Papai Noel é invenção do comércio para lucrar no final do ano. Não penso assim.
Natal não se resume a presentes e Papai Noel, mas não vejo mal algum em cultivar o sonho nas crianças. Como é bom sonhar! Que graça teria se todas as crianças já pensassem como adultos e soubessem das verdades da vida, por mais duras que elas possam ser? Criança não tem que pensar como adulto.
Como é bom recordar o tempo em que acreditávamos no Papai Noel. Cada um tem uma história especial. A minha história é a dos meus sobrinhos gêmeos. Eles estavam esperando o Papai Noel chegar até que tiveram uma brilhante ideia. Pensaram que o bom velhinho deveria ficar com fome na noite de Natal porque trabalhava muito. Fizeram questão de preparar um lanche para o Papai Noel descansar um pouco e recuperar a energia. O que eles mais gostavam de comer era misto quente e leite com Nescau.  Então, minha irmã fez o lanche para o Papai Noel e deixou do lado da árvore de Natal. Na manhã seguinte, eles correram até a árvore e viram o prato e o copo vazios. Que alegria! “Viu, mãe, a gente disse que o Papai Noel ficaria com fome!” Acho que a felicidade foi até maior do que a de receber os presentes. Eles se sentiram importantes porque fizeram um agrado ao Papai Noel.
Aquela minha amiga que explicou para o filho sobre o aniversário de Jesus, me contou também outra história sobre o Papai Noel. Ela é muito religiosa, mas faz questão de alimentar o sonho do Papai Noel. Quando criança, ela era pobre e não ganhava presente. Mas ela acreditava que o Papai Noel não vinha porque a casa dela não tinha chaminé. Quando ela cresceu, quis alimentar o sonho nos filhos. Alguém disse ao filho mais novo que Papai Noel não existia. Triste, ele foi confirmar com ela a notícia: “É verdade, mãe, que Papai Noel não existe?” Sábia, novamente, ela encontrou uma brilhante saída: “Lógico que existe! Bom, o Papai Noel mesmo, o primeiro, já morreu porque ele ficou muito velhinho. Mas Papai Noel é como um posto. Quando um morre, outro assume, assim como acontece com o Papa, os padres ou os pastores das Igrejas. A Fábrica do Papai Noel sempre vai existir”. Já o mais velho, com 18 anos, certamente já descobriu a verdade sozinho. Mas todo ano ela continua perguntando o que ele quer pedir ao Papai Noel.
Infelizmente, contei à minha irmã mais nova que o Papai Noel não existia. Como me arrependo! Eu era criança e não tinha a compreensão que estava destruindo um sonho... Ela me perdoou e conta com humor o dia da revelação. Mas não consigo me perdoar. Hoje, penso que deve ser assim: cada um que perceba por si só que Papai Noel não existe. A verdade aparece no devido tempo!

6 comentários:

Juliani disse...

Concordo totalmente com você, acreditar em Papai Noel é magico, inocente!
Se depender de mim o Eduardo vai acreditar por muito tempo!

Beijos

Angi disse...

Amiga,
Como foi a véspera, Henrique curtiu? Aqui foi maravilhoso, com meus pais, parentes e amigos, ótimo mesmo!
Ai, é um dilema isso aqui, porque marido não gosta do Papai Noel, nunca gostou, e acha que não devemos falar que existe...conversamos muito, e vamos resolver com o que acharmos melhor.
Acho inocente, acho que é bom sonhar, mas estou me convencendo que é bom falar a verdade, que é para comemorar o dia do nascimento de Jesus e que trocamos presentes...
É algo que vamos pensar esse ano que vem, já que Antônio não entende muito bem o papai noel, até vimos no shopping, mas ele não foi muito com a cara dele...rs
Boa semana,flor!
Beijos nossos

Cristiane disse...

Fiz um misto de fantasia e a realida de neste natal. Escrevi lá no blog. sonhar é gostoso... cris

http://olhopreguicoso.blogspot.com/2011/12/natal.html

Andrea Ponte disse...

Estava com saudade dos seus textos!!!!!! Bjo

Liℓℓi Oℓivєirα disse...

Oi amiga, obrigado pelo retorno.. qd eu disse q os blogs mudaram o foco, é pq eu acho q quando criamos o blog, era pra registrar o dia a dia dos pequenos, as duvidas, certezas e incertezas da maternidade, dividir opiniões, ensinar e aprender.. era bem oq acontecia no começo, mas eu vejo q em alguns blogs, e vou confessar q a maioria, eles mudaram totalmente o foco, eu não sei se é pra ter 500 membros, ou pra ser popular, mas de 10 posts q vc lê, 8 são novas parcerias e 2 são sorteios, eu adoro sorteio, mas e da maternidade?? Ninguem mais se lembra?? E acabam ficando super chatos, vontade até de excluir eles da minha lista sabe, ai tem um monte de seguidores, e nada de conteúdo.. mudaram completamente o foco.. eu gosto de ler sobre a maternidade, gosto do seu blog, é atual, e vc escreve o q eu gosto de ler.. estou super sem tempo, mas sempre q posso passo pelos blogs q não perderam a essencia.. Obrigado pela atenção..rs Bjinhos Lili do Luanzinho

Laura D. disse...

Ah... Telma, até parece! Eu do jeito que sou... imagina se você não tivesse me contado... capaz que estava pedindo presente pra ele até hoje!!! Pois eu nem sabia que tinha que te perdoar! que bom que foi você e que temos esta história linda pra contar! Te amo, viu?